5 dicas para proteger a marca da sua cervejaria

Para além das panelas e receitas, existe um caminho a ser percorrido para quem pretende empreender no mercado de cervejas. O que poucos sabem é que esse percurso não se encerra com a obtenção do registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Sejam pequenas ou grandes, as cervejarias devem colocar as questões relacionadas à marca e à proteção da propriedade intelectual entre as estratégias prioritárias do negócio.

Com o objetivo de esclarecer alguns mitos e auxiliar o cervejeiro nesse caminho, o especialista em Propriedade Intelectual e Sócio da Stock Marcas e Patentes, Luiz Fernando Stock elenca 5 dicas para garantir a proteção da identidade da cervejaria:

1 - Não basta investir na criação de cervejas especiais, na combinação de ingredientes nobres, na divulgação e deixar de lado a proteção ao nome escolhido para canalizar todo esse investimento.  O uso de uma marca não garante sua propriedade por si só, é preciso registrá-la.

2 – Registro de domínio na internet não é sinônimo de propriedade da marca e, empresas de mesmo nome podem reivindicar o direito de utilização.

3  - A marca da cervejaria e de cada uma das cervejas exigem registros diferentes junto ao INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial, o qual não depende do certificado no MAPA, portanto é possível dar entrada nos pedidos ao mesmo tempo, evitando dores de cabeça. O processo de registro da marca leva em torno de 2 anos e requer acompanhamento especializado.

4 – Não é fácil contornar uma situação de outra empresa registrar o mesmo nome. Reivindicações bem feitas podem acabar com o direito de utilização da marca obrigando a cervejaria a mudar para algo bem diferente. Esta mudança pode ter impacto negativo sobre o negócio.

5 - Cuidado com as fraudes. Certifique-se que  o profissional contratado para auxiliá-lo possui conhecimento no assunto, bem como os meios para a correta manutenção dos seus direitos de propriedade intelectual.