OMPI destaca o papel da mulher no sistema mundial de PI

Recentemente foi comemorado o Dia Mundial da Propriedade Intelectual (PI) e, neste ano, a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) escolheu como tema a participação das mulheres no universo da PI. A ideia é fomentar o debate sobre o papel das mulheres inovadoras e criativas em todo o sistema, destacando as suas ideias para proporcionar mudanças em todas as áreas da sociedade.

Incentivar esta participação é necessário pois, de acordo com dados da OMPI, há mais homens utilizando o sistema da PI do que mulheres. Menos de um terço de todos os pedidos internacionais de patentes apresentados em 2015 incluíam mulheres inventoras. Outro dado importante aponta que as mulheres ocupam apenas 15% das vagas na área de design industrial nos Estados Unidos. Além da igualdade de gênero ser um direito humano, todo o sistema seria beneficiado se existisse uma contribuição maior do público feminino.

Esta disparidade de gênero também reflete na vida social e econômica. Na maioria dos países, há menos meninas do que meninos estudando sobre assuntos científicos, por exemplo. Em consequência, menos mulheres trabalham nos campos que produzem a maior parte da inovação técnica. "Em algumas culturas, meninas e mulheres ainda estão limitadas a certos papéis da sociedade, como mães e donas do lar. São esteriótipos que contribuem para estes números, restringindo as perspectivas de carreiras femininas", analisa a sócia da Stock Marcas e Patentes, Cassandra Raimann.

Com a adoção de sua Política sobre Igualdade de Gênero em 2014, a OMPI está comprometida com as causas que envolvem a igualdade de gênero. Entre outras ações, a Organização assegura a igualdade de acesso aos seus serviços, empreendendo uma série de projetos para identificar e promover exemplos de inovação e criatividade por parte das mulheres. O tema escolhido para o Dia Mundial da Propriedade Intelectual de 2018 é outro passo importante nesta missão.